movimento/pensamento do corpo

A mais complexa possibilidade de movimento em um corpo, aquela que pode se identificar com o nome de pensamento do corpo, essa é a dança. Há que se entender que quando a dança acontece num corpo, o tipo de ação que faz acontecer é da mesma natureza do tipo de ação que faz o pensamento aparecer. O pensamento que se pensa e o pensamento que se organiza motoramente como a dança se ressoam. (KATZ, Helena, pg. 39, 2005) Para Reid, 1981, 1986. A dança não está somente ligada com o sentimento afetivo, ou com a liberação de emoções, mas como forma de arte está engajada com o sentimento cognitivo e com a organização dos pensamentos. Em nossos corpos dançando, os sentimentos se integram aos processos cognitivos mentais para que possamos compreender o mundo de forma diferenciada. Vislumbro que a dança é uma possibilidade de integração, entre corpo mente, pois em seu fazer colocamos em movimento, pensamento, emoção, intuição, desenvolvendo a habilidade de materializar, unir em um só ato pensamento e ação. Para tanto, para que o corpo dance faz-se necessário a experiência e aprendizado de diversas qualidades de movimentos, uma espécie de vocabulário corporal, como vimos no item anterior. Um aspecto essencial da experiência do corpo-próprio é a motricidade. Ela está diretamente envolvida na percepção, para Merleau-Ponty (2006) ela é intencionalidade original. Por meio do movimento, o corpo nos situa no mundo, nos posiciona em relação às coisas, permite que as conheçamos por diferentes ângulos e revela que a visão se dá por perspectivas. A primeira função da motricidade é a expressão das necessidades, desejos e estados, comunicação do corpo com o seu entorno. No bebê, podemos visualizar que nos primeiros meses de vida a motricidade expressa se através do choro, do sugar, que depois se transforma em falar; pegar que depois se transforma em motivação para andar, nas crianças maiores se manifesta principalmente no ato de brincar, no fantasiar, na exploração do espaço, nos adultos se traduz no movimento do trabalho, na necessidade das atividades corporais, e no ato sexual. As fases do desenvolvimento humano se diferem de acordo com a idade, e com os estímulos recebidos. É fundamental para a criança desenvolver suas capacidades motoras, brincar, explorar o espaço é algo que deve ser reconhecido como parte da aprendizagem. Tanto a motricidade quanto a organização do pensamento, a cognição, devem caminhar juntas. Cabe aos educadores desenvolver competências para viabilizar essa integração. Considerando que o desenvolvimento da capacidade motora e cognitiva acontecem progressivamente, e vão se modificando ano após ano, transformando também a maneira em que o ser humano se relaciona com os outros seres, consigo mesmo e com o mundo. Cada uma dessas fases é caracterizada por diferentes formas de organização mental que possibilitam as diferentes maneiras do indivíduo relacionar-se com a realidade que o rodeia. Podemos nos aprofundar no assunto lendo Piaget e as fases do desenvolvimento humano.  Tanto para criança pequena, como para o jovem ou adulto, o movimento é algo mais do que mecânico. É uma forma de expressar de comunicar através do vocabulário da linguagem corporal . Esse saber deve ser desenvolvido por todos, ao longo dos anos de vida, a fim de que possa contribuir para o desenvolvimento pleno e integral do ser humano. O corpo é ser-em-movimento, o próprio verbo encarnado, ação, instrumento de comunicação que possibilita as relações e a construção da subjetividade. Compreendendo que o desenvolvimento humano e a construção da subjetividade passam pela aprendizagem e experimentação de diversas linguagens de expressão, e também das relações interpessoais que cada qual vai estabelecendo. Quanto mais linguagens aprendemos, mais aumentam nossas possibilidades de expressão, comunicação, de leitura e atuação no mundo. O corpo é o canal por meio do qual experimentamos o mundo, a comunicação se dá a partir do movimento, então esse permeia a construção de nossa subjetividade. O movimento traduz o que as palavras não conseguem alcançar. Quando mais nova, a criança necessita dos adultos para a compreensão dos seus gestos e para o atendimento de suas necessidades, a partir do momento em que vai crescendo passa a tornar-se cada 4 A linguagem corporal é uma forma de comunicação não verbal, abrange os gestos, postura, expressões faciais, movimento dos olhos. Essa, foi uma das primeiras formas de comunicação humana e continua sendo uma das mais fortes e expressivas, ela vem sendo utilizada há milhões de anos e está relacionada principalmente ao sistema límbico (mesencéfalo), a segunda estrutura mais primitiva do nosso cérebro. (Trecho extraído da enciclopédia livre ,Wikipédia)vez mais independente e autônoma, pois através do desenvolvimento de suas capacidades motoras e cognitivas, vai adquirindo seu próprio vocabulário de expressão, e comunicação. É fato que o movimento corporal é uma linguagem de expressão que está relacionada ao desenvolvimento humano, ele é elemento fundamental para o bem estar e saúde física, mental e psíquica. Através do seu aprimoramento é possível desenvolver capacidades de expressão, comunicação, afetividade, criatividade, dentre outras. É uma linguagem essencial a ser trabalhada nas escolas, não como exercício repetitivo e mecânico mais como expressão vital dos potenciais presentes em cada ser humano. Nossa constituição corporal é provida de inúmeras articulações que se movimentam a partir de estímulos energéticos, fisiológicos e psíquicos, é uma estrutura anatomicamente preparada para o movimento. O corpo em seu movimento deflagra maneiras de ser e estar no mundo, ora de forma mais latente, exercendo suas tarefas diárias e movimentos do cotidiano, ora mais presentes quando afetados pelas emoções e acontecimentos, como conhecer um novo lugar, ou apaixonar-se. É fato que quando o sentir está presente o corpo se torna mais expressivo, mais vivo, e seus movimentos mais espontâneos e livres. A dança nesse contexto contribui para tornar o corpo mais expressivo mais consciente e presente, facilitando uma expressão não verbal de pensamento, o “pensamento do corpo” é uma outra perspectiva de relação e comunicação, tendo o corpo como canal por onde o movimento e a dança se manifestam.Veremos no próximo item a importância da experiência do corpo e do movimento dentro cotidiano escolar e a necessidade de ressignificação das práticas e abordagens em educação.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s